FAMBRAS © 2017  |  Direitos Reservados

Sobre

No dia 16 de dezembro, sábado, os refugiados e imigrantes em situação de acolhimento ou que necessitam de atendimento especializado terão uma boa oportunidade de realizar exames médicos e contar com ajuda jurídica especializada. Pois, a ação, que conta com a parceria da Fundação de Ajuda Humanitária - IHH, e o Centro de Referência e Atendimento para Imigrantes – CRAI, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos, promete levar um momento especial para este público. “O Vale do Anhangabaú foi estrategicamente escolhido para levar esse atendimento, pois é ali onde a maioria dos imigrantes e refugiados se concentra. A ideia, então, é reunir o máximo de pessoas que desejem realizar exames médicos e ser atendidos por profissionais de saúde e da área jurídica, numa grande ação de cidadania”, entusiasma-se Ali Zoghbi, Vice-Presidente da FAMBRAS.

 

Em 2017, a FAMBRAS idealizou o “E eu, onde fico? – I Fórum sobre Imigrantes e Refugiados no Brasil”, evento que discutiu o tema no mundo acadêmico e intelectual, essa foi uma das maneiras encontradas pela Federação de ajudar as pessoas em situação de refúgio ou imigração no país. “A Federação realiza, durante todo o ano, o Islam Solidário, ação social semelhante a esta em comunidades carentes de São Paulo, e nossa ideia era adaptar este evento, tão importante para quem necessita de atendimento, aos refugiados e imigrantes. Com o apoio do CRAI, agora, finalmente, realizaremos esse desejo”, comemora.

 

Durante toda a tarde do sábado, dia 16, gratuitamente, os refugiados e imigrantes que comparecerem ao Vale do Anhangabaú contarão com 17 modalidades de serviços de saúde, ofertados por mais de 250 voluntários, entre médicos, dentistas, fisioterapeutas, técnicos e auxiliares de enfermagem, enfermeiros, nutricionistas e massoterapeutas. São exames de hipertensão, diabetes, colesterol, hepatite C, oftalmológico e de mamas. Eles poderão, ainda, receber orientação nutricional, odontológica e aprender como se faz o autoexame de mamas, a fim de prevenir o câncer.

 

O CRAI também providenciará atendimento jurídico aos refugiados e imigrantes, já que eles necessitam regularizar a estadia no Brasil, encaminhar suas crianças à escola e conseguir trabalho. Também será possível, na data, incluí-los no SUS – Sistema Único de Saúde, de maneira que eles possam ser encaminhados aos postos de saúde, em casos de necessidade, após os exames. Vale reforçar que os casos mais graves são sempre encaminhados para tratamentos ambulatoriais nos postos da região.

Foto: Karine Garcez